Em Fá Sustenido
 
10 de Julho de 2012

 

Talvez um caminho se escreva nas pétalas da manhã

Talvez um caminho se abra nas asas do arvoredo

Talvez um caminho siga nos trilhos do vento cantante

Talvez as águas ciciantes se lembrem de me sussurrar o caminho

 

E eu caminho...

 

Talvez o caminho se erga


musicado por fá# às 09:11 link da pauta
Escalas:
09 de Junho de 2012

 

Há distâncias forjadas

Tão mar

Habitáculos de cardos

E ervas salgadas

Águas em fogo

Areias de gelo

Pássaros calados

Tão noite

Tão sede

Tão saudade…

 

Mas haverá ainda manhãs

Tão mar

De sítios tranquilos

Radiantes

De flores

E perfumes.

E das pedras sairão fontes

Onde os pássaros feridos

Se hão-de banhar.

 

musicado por fá# às 16:10 link da pauta
Escalas:
16 de Abril de 2012

 

Bradam ao céu espinhos

Uma floresta de dores

Por dentro da janela escancarada

Um mundo alheio a tudo

E recheado de nada

 

Moldura de vento silente

Murmúrio cansado e dolente

Aroma de rosas bravias

Na esquina aguda do tempo

Que passa a rasgar os dias

 

musicado por fá# às 23:30 link da pauta
Escalas:
13 de Março de 2012

 

Há uma Primavera (in)discreta que me espreita à janela

Um cálido perfume a nascer dos raios de sol

Uma luz serena de realidade donzela

Uma sinfonia de cores breves no ar

Um convite à utopia no jardim

Um reflexo de vida nova a levitar

E um sopro de brisa mansa nascente em mim

 

Eu gosto e preciso disso

Simplesmente porque sim

 

musicado por fá# às 18:56 link da pauta
Escalas:
10 de Janeiro de 2012

 

Debaixo da ponte correm pedras

Natureza morta

Que mata

Pousio bravo

Obstáculo de tropeço e arremesso

Oceano irracional

Pedestal sombrio

Catedral do vazio

Abismo

Penedos pontiagudos

Pedregulhos

Areias e Seixos

Calhaus

Correm pedras debaixo da ponte


musicado por fá# às 08:30 link da pauta
Escalas:
17 de Dezembro de 2011

 

Quase Inverno...

Um mergulho azul céu neste quase mar

 

Quase Natal...

Mergulho na alma deste quase verde olhar

 

Quase fim de ano...

E mais outro... quase a chegar

 

E em quase espelho estrelas renascer

Uma quase esperança fome

Agradecer e perdoar

E viver

Serenidade

Embalo perene

Quase...

Luar

 

 

Neste quase... Natal e Ano Novo

Os votos de Festas Felizes!

 

Bom 2012!

 

 

musicado por fá# às 18:16 link da pauta
Escalas: ,
26 de Novembro de 2011

 

Quando o sol se faz poema

Apetece espanejar as asas

Num adejar lento

Não vá o mistério acordar 

 

musicado por fá# às 14:52 link da pauta
Escalas:
17 de Outubro de 2011

 

Desenho a carvão o negro da terra queimada.

Nem lágrimas sobram para te regar

Pobre barco encalhado

Que não te fizeste ao largo.

As cinzas são-te espalhadas em sombras

Manchas negras pelos campos

Outrora verdejantes

Poalha que o tempo almeja reacender em chama viva

Mas que a-penas alastra como chaga

Já sem sangue para verdejar.

 

musicado por fá# às 10:00 link da pauta
Escalas:
26 de Agosto de 2011

 

Tenho uma alma-gaivota que não se confina ao chão

Um coração sempre com sede de ar

Um mar nos olhos que escorre do peito

Em leito de asas feito

 

É entre gaivotas que a minha alma voa

 

musicado por fá# às 17:26 link da pauta
Escalas:
25 de Julho de 2011

 

Às vezes vem uma tentação de abarcar o mundo com as mãos...

 

musicado por fá# às 20:09 link da pauta
Escalas:
Com mais som
23 comentários
17 comentários
15 comentários
15 comentários
14 comentários
13 comentários
12 comentários
11 comentários
10 comentários
8 comentários
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape