Em Fá Sustenido
 
16 de Abril de 2012

 

Bradam ao céu espinhos

Uma floresta de dores

Por dentro da janela escancarada

Um mundo alheio a tudo

E recheado de nada

 

Moldura de vento silente

Murmúrio cansado e dolente

Aroma de rosas bravias

Na esquina aguda do tempo

Que passa a rasgar os dias

 

musicado por Fá# às 23:30 link da pauta
Escalas:


Sim, é verdade. Há molduras assim, Fá!

Pele a suster a dor incompreensível dos dias...
E espinhos a ferir a pouca pele que ainda resta...

(Obrigada!) :)
Fá# a 17 de Abril de 2012 às 16:05
Poema e imagem completam-se na perfeição! lindo!
Bjs
lilá(s)) a 17 de Abril de 2012 às 23:44
Há molduras assim... que são feridas abertas!
:)
Bjs
Fá# a 20 de Abril de 2012 às 13:13
Belo poema.
Gostei das tuas palavras.
Embora algo tristes...
Fá, querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijos.
Quando os espinhos nos ferem, as nossas palavras são, no mínimo, gemidos...

:)

Beijos
Mas os ferimentos tanto podem ser dos espinhos como da pele macia de mais.
Enfim, é uma moldura possível "na esquina aguda do tempo"...
Beijo, querida amiga.
Tens razão: a pele pode muitas das vezes ser frágil... mas, ainda assim, haja pele que proteja os outros órgãos.
Obrigada :)
Beijos
Fá# a 23 de Abril de 2012 às 13:01
Espinhos, floresta, vento, rosas... como se fossem pedaços de um peito cansado de nada.

Gostei bastante deste poema que alberga uma tristeza tão aguda!

beijinho
Rita a 26 de Abril de 2012 às 17:28
São estes tempos que nos ferem.
:)
Bjos
Fá# a 26 de Abril de 2012 às 18:12
Belíssima fotografia...Esta janela faz-me lembrar uma casa que eu tenho, ali prós lado da serra, e que eu ainda não me predispus a mandar arranjar...
Obrigado!
Bjs
Lynce a 29 de Maio de 2012 às 17:26
Então vá de a recuperar... para os espinhos não atacarem! :)

Obrigada.

Bjs
Esta fase não é a melhor para esse tipo de investimentos...
:)))
Lynce a 29 de Maio de 2012 às 17:58
Pois. Os espinhos atacam!
:)
Os espinhos atacam e de que maneira...embora todos os anos eu rape em volta da casa. Mas tenho que resolver a questão. A casa situa-se numa das margens do Mondego. Adoro aquele local...
Lynce a 29 de Maio de 2012 às 22:08
Acho bem. É património que não se deve deixar perder.

Esta também não fica longe do Mondego... :)
Mas é como te digo, simpática...apesar de já ter o projecto de reabilitação aprovado, o momento não é o melhor. Vou aguardar mais uns tempos...é que o euro está caro.
:)))
Lynce a 29 de Maio de 2012 às 22:49
... ui, se está!
Por isso é que eu vou com calma...porque esta coisa da banca "só dá um chouriço a quem lhe der um porco", e eu nunca gostei de endividamentos...
:)))
Lynce a 30 de Maio de 2012 às 09:21
Os endividamentos também me fazem alergia... mais do que os espinhos :))
Por isso é que não é por aí que vou deixar de dormir...quando há "graveto", investe-se, quando não há, espera-se por melhor dias...
:)))
Lynce a 30 de Maio de 2012 às 14:24
Ora pois! :)
Fá# a 30 de Maio de 2012 às 15:57
Lynce a 30 de Maio de 2012 às 20:22
Com mais som
23 comentários
18 comentários
17 comentários
15 comentários
15 comentários
14 comentários
13 comentários
12 comentários
11 comentários
10 comentários
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape